top of page

ESG na COP 27 e nos conteúdos do Path

Os debates estão ocorrendo nesse exato momento na COP 27, mas como os temas sobre meio ambiente, social e governança estão sendo abordados? Eles são importantes na conferência pelo clima? Compreenda como o ESG é parte da discussão sobre desenvolvimento sustentável e confira três palestras do Path para se aprofundar no tema.



Nos últimos anos, tem havido um foco crescente em questões ambientais, sociais e de governança (ESG) entre empresários e colaboradores. Em termos simples, o ESG refere-se aos três pilares do desenvolvimento sustentável: proteção ambiental, responsabilidade social e boa governança.


É uma forma de medir o compromisso de uma empresa ou organização com o desenvolvimento sustentável, o investimento ESG é uma estratégia de investimento que leva em consideração fatores ambientais, sociais e de governança para gerar retornos financeiros de longo prazo.


Esse tipo de investimento se tornou cada vez mais popular nos últimos anos, à medida que mais investidores procuram maneiras de alinhar seus portfólios com seus valores. Há um crescente corpo de evidências que sugere que as empresas que levam a sério o ESG são mais bem governadas e têm melhor desempenho financeiro de longo prazo.


A ESG geralmente se refere aos três fatores centrais na medição da sustentabilidade e do impacto social de um investimento em uma empresa ou organização. Esses fatores são ambientais, sociais e de governança:


Meio Ambiente: Esta categoria mede a pegada ambiental de uma empresa. Ele analisa emissões, poluição, consumo de recursos e resíduos. Também avalia os esforços de uma empresa para mitigar seu impacto ambiental.


Social: As considerações sociais analisam como uma empresa trata seus funcionários, clientes e outras partes interessadas. Também leva em conta coisas como violações de direitos humanos, corrupção e diversidade.


Governança: Esta área avalia o conselho de administração de uma empresa, a remuneração dos executivos, os direitos dos acionistas e o cumprimento das leis e regulamentos. A boa governança ajuda a garantir que uma empresa seja administrada de maneira ética e sustentável.


ESG na COP 27


A chegada da COP 27 coloca o tema de ESG na pauta de líderes mundiais e altos executivos corporativos que buscam maneiras de limitar o aquecimento global. A conferência do clima da Organização das Nações Unidas começou essa semana no Egito e já é possível ver que a Governança Ambiental e Social, tem sido parte importante das discussões que ocorrem até 18 de novembro. Essa conversas unilaterais s[ó beneficiam as demandas urgentes por investimentos responsáveis ​​em linhas verdes, seguindo a tendencia do ESG como um todo.


O investimento em ESG deve oferecer uma maneira de identificar empresas que ajudam a combater as mudanças climáticas, por meio de planos para reduzir suas próprias emissões de gases de efeito estufa ou desenvolvimento de alternativas, como compensação de carbono. Tais estratégias são muito discutidas nas COPs mediadas pela ONU, ou Conferência das Partes, visando garantir que o aquecimento global possa ser limitado por meio de emissões reduzidas de acordo com as metas acordadas nas COPs anteriores em Glasgow e Paris.


O evento também explora como os atores não estatais estão 'cumprindo as promessas' de alcançar um futuro resiliente. A COP 27 ocorre na sequência de vários relatórios sobre o estado da ação climática, que transmitem claramente a necessidade de abordar a atual lacuna de implementação que, segundo a própria organização, precisa seguir com honestidade, entrega e responsabilidade.


Para fazer um balanço do progresso nesse sentido, os principais agentes de mudança em diversos setores e que também estão ligados às ações de ESG em suas áreas, irão divulgar o 'Anuário de Ação Climática Global 2022'. O Anuário relata anualmente o progresso de entidades não estatais em direção a suas metas climáticas e é a prova de que empresas, investidores, cidades, estados e regiões estão construindo resiliência e impulsionando mudanças rápidas na economia real.


A conversa continua no Path


A plataforma de streaming do Path disponibiliza mais de 70 horas de conteúdos baseados, em sua maioria, nos 17 Objetivos para o Desenvolvimento Sustentável, que naturalmente estão atrelados às boas práticas de ESG.


Seguindo os debates e conversas que estão ocorrendo nesse exato momento na COP 27 e, levando em consideração os temas sobre proteção ambiental, responsabilidade social e boa governança, separamos conteúdos exclusivos do Path com conversas transformadoras sobre essa pauta.


Confira e assista em nossa plataforma clicando na imagem de cada conversa.


LEO FARAH E KENIA MARIA


Fazendo a diferença no mundo


Nesse papo entre Leo Farah e Kenia Maria, os convidados do Path Amazônia conversam sobre causas sociais, sua importância e como elas fazem a diferença na sociedade e nas empresas, destacando os impactos que isso reflete no mundo.



RACHEL MAIA E VIVIANNE GONÇALVES


Responsabilidade social e o papel das marcas


Rachel Maia, que é CEO da RM Consulting e Viviane Gonçalves, Gerente de marketing Latam Hub na Volvo Cars, conversam sobre o papel das marcas nas questões que envolvem responsabilidade social e planeta sustentável.



NINA SILVA


Gerando impactos positivos na sociedade


Convidada pela Volvo Car Brasil, Nina Silva fala sobre o Movimento Black Money e seus impactos positivos. A executiva conta como está transformando digitalmente o dia a dia de empreendedores negros e como a fintech D’Black tem trazido soluções financeiras para essas mudanças.



0 comentário
bottom of page