top of page

7 conteúdos do Path para pensar no futuro do planeta

Seguindo o movimento #FridaysForFuture separamos os conteúdos exclusivos do Path que conversam com as pautas que estão sendo discutidas por jovens de todo o mundo na greve pelo clima.



Nesta sexta-feira (23), ocorre no mundo todo a Greve Pelo Clima , ou Fridays For Future, que se tornou um movimento global de ação pela urgência climática. É liderado e organizado por jovens e começou em agosto de 2018, quando Greta Thunberg , de 15 anos, iniciou uma greve escolar pelo clima, nas três semanas que antecederam as eleições suecas, ela se sentou do lado de fora do Parlamento do país e exigiu durante todos os dias letivos, ações urgentes sobre a crise climática.


A ação de Greta começou solitária, mas logo outras pessoas se juntaram a ela e, no dia 8 de setembro, junto aos seus colegas de escola, a ativista decidiu manter sua greve até que as políticas suecas oferecessem um caminho seguro para o futuro do clima no mundo. Esse movimento inspirou outros jovens de todo o mundo a se juntarem a eles, despertando a atenção de todo o planeta para as pautas que estavam sendo reivindicadas.


O FFF nasceu como uma ideia criativa que trouxe uma ferramenta de combate às mudanças climáticas pensando no futuro de uma geração que ainda não havia se levantado contra os erros que foram cometidos no passado por outras gerações. No Path, buscamos sempre dar espaço à ideias que podem ser a solução para transformar positivamente a sociedade, assim como foi a greve pelo clima.


Durante uma década construímos um elo com pessoas que promovem ações criativas e disruptivas em suas áreas de atuação, transformando de forma inovadora o seu entorno e inspirando a sociedade em geral.


Em nossa plataforma de streaming, reunimos estas ideias e soluções através de palestras, bate-papos em vídeo e podcasts, além de documentários originais produzidos pelo Path. Separamos neste artigo uma dica de conteúdo para cada dia da semana, todos relacionados aos temas que estão sendo discutidos no Fridays for Future.


Conheça nossos conteúdos


O dia que o mar pegar o fogo, com Guilherme Longo.


O professor e pesquisador, Guilherme Longo, apresenta um panorama dos recifes brasileiros e a urgência de sua regeneração com base em um passado recente desse ecossistema.




Caminhos para o consumo consciente, com Daiana Petry.


Nessa conversa, a naturóloga Daiana Petry apresenta como que são feitos os cosméticos e as maquiagens e diante disso, como podemos criar formulações minimalistas e multifuncionais como um caminho para a produção e consumo responsável.





Retomando a conversa com nosso ecossistema, com Dra. Sofia Mendonça.

A sanitarista e antropóloga, Dra. Sofia Mendonça, conversa sobre a necessidade de costurar nossas sombras sobre o planeta, percebendo as pegadas duras, costurar nossa sombra em nós mesmos e compartilhar com os outros, para religar, equilibrar e pensar um caminho que alcance os objetivos de desenvolvimento sustentável.




Como a tecnologia pode ser aliada na conservação/preservação da Amazônia, com Sonia Abreu e Luis Adaime


A palestra demonstra objetivamente como o uso da tecnologia está mudando o cenário de devastação da Amazônia.




Bacana! Qual é o plano? Com Marina Kahn.


Qual é o plano? A pergunta nos convida a refletir sobre algumas palavras de ordem do momento: sustentabilidade, governança, transparência, empreendedorismo, sucesso, autonomia, oportunidade, ousadia, entre outras.


Na conversa entre Marina Kahn, Indigenista, Maria Tereza Vieira, quilombola do bairro Nhunguara e coletora de sementes, ao lado de Juliano Nascimento, assessor técnico no Instituto Socioambiental e da Rede de Sementes do Vale do Ribeira, o trio conversa sobre como podemos enquadrar os ODS nesse léxico da doutrina da prosperidade.




Educação no desenvolvimento de negócios comunitários socioambientais, com Júlia Marins


O Brasil tem hoje mais de 30 mil negócios comunitários de impacto socioambiental e uma demanda crescente no mercado por produtos da biodiversidade e de modos de produção sustentáveis.


Porém, a maior parte das organizações econômicas da agricultura familiar, do extrativismo, da pesca artesanal e de outras atividades econômicas socioambientais de base comunitária, ainda carece de modelos de negócios apropriados, acesso a crédito, conexão com o mercado e capacidades específicas de gestão.


A analista de programas socioambientais da Conexus, Júlia de Marins Costa, conta em sua palestra no Path, como a educação pode agir de forma transversal no desenvolvimento de projetos e negócios que impactam diretamente comunidades dentro do âmbito socioambiental.


Histórias que nos vestem, com Dari Santos


A co-fundadora e conselheira do Engajamundo e empreendedora social do Instituto Alinha, Dari Santos, conta como criou o primeiro sistema de Blockchain brasileiro na moda, a fim de garantir a participação dos consumidores nessa missão de levar dignidade às pessoas que fazem nossas roupas. Nessa conversa ela nos leva a refletir sobre quem faz nossas roupas e a história por trás de cada costureira e costureiro.



0 comentário

コメント


bottom of page